[ editar artigo]

Fazer o que ama e viver disso? Pergunte-me como!

Fazer o que ama e viver disso? Pergunte-me como!

Você é feliz no trabalho? Mudar de profissão significa descobrir sobre o que você gosta de conversar (ou cantar)! Confira essa incrível história profissional do Carlos com a música. <3

Quando eu era bem criança, me apaixonei pela Música quando vi a professora Patrícia nos acompanhando no piano, durante as aulas de flauta do colégio.

Lembro-me que todos meus amigos achavam estudar flauta um porre, e eu aguardava ansiosamente pela única aula semanal!

Como um bom menino, dei ouvidos a todos os conselhos negativos que versavam sobre música: músico é tudo pobre, é melhor você levar a música como hobby, você vai ter que trabalhar na noite, música não sustenta família.

Depois de muito me atormentarem e eu me convencer de que música não poderia ser um trabalho, resolvi mudar o meu rumo profissional – escolhi fazer Publicidade e Propaganda.

Com o passar do curso, fui entendendo que no mercado da Comunicação, assim como no mercado de Música, eu precisaria ser excelente para ser bem-sucedido.

Amadureci essa ideia e resolvi criar coragem e tomar uma atitude, mas com riscos calculados: prestei vestibular para o curso de Música, sem desistir da Publicidade. Fazia uma faculdade de manhã, outra à tarde e dava aulas de música à noite.

Para resumir a história: me formei nas duas faculdades e comecei aquela vida sofrida de músico de que tanto me alertaram na adolescência. Dar aulas, cantar em banda, cantar em casamento, um cachê aqui, outro ali... calma, Carlos! O início de qualquer profissão é assim!

Passei alguns anos fazendo isso e, por dentro, sempre aquela sensação de que eu poderia potencializar meus talentos em algum projeto maior, mas não sabia qual e nem como.

Veio então a fase da revolta. Desencantei da música, estava cansado dessa vida sem rotina. E adivinha? Brotou em mim o famoso pensamento de fuga: vou fazer concurso e fazer música no tempo livre.

Fiquei um ano e meio estudando loucamente para concursos e passei em um para cargo de Revisor de Textos. Trabalhei 4 meses e desisti. Juro por Deus! Foi o suficiente para eu me apaixonar novamente pela música (rs!).

Foi quando uma grande amiga minha, hoje minha sócia, abriu meus olhos: Carlos! Você canta em casamentos há mais de 10 anos! Por que você não faz disso o seu negócio?! Meu Deus! Como nunca enxerguei essa oportunidade que esteve sempre na minha frente???

Tratei logo de pesquisar melhor o mercado, referências e inspirações, para empreender no meu mais novo projeto de música para casamentos. 

Nesse momento, agradeci ao Universo por eu ter tido a oportunidade de estudar Publicidade e Música, pois as duas áreas se uniram harmoniosamente no meu novo propósito.

Hoje, estamos felizes com o nosso filho, chamado Cantiga de Casar, que ainda é pequenino, mas muito potente e felizmente benquisto no mercado de casamentos de Curitiba.

Inauguramos um novo conceito sonoro e visual para este ramo na cidade, ou seja, criamos a nossa oportunidade e, hoje, nossos clientes não nos contratam por preço, mas pelo nosso valor.

Eu acredito que o empreendedorismo é a grande janela para quem quer viver sua vocação e não se encaixa no mercado tradicional.

Eu precisei passar por todo um perrengue para descobrir, no fim das contas, que eu só precisava seguir meu coração – aquele coração que se apaixonou pelas aulas de flauta.

Sou eterno aprendiz, meu negócio ainda não rende rios de dinheiro, mas vivo cada dia de forma prazerosa e sinto-me realizado a cada novo degrau alcançado.

Não há nada mais libertador do que fazermos o que realmente gostamos de fazer, tanto na vida profissional como na vida pessoal. Vivamos nossa vocação!

Confira uma amostra do nosso trabalho!

 

Trabalhe com o que você tem muita vontade de falar sobre! A gente vai quebrando a cabeça, tentando se encaixar em padrões, seguindo o que os outros orientam; quando, no fim, a resposta é tão puramente encontrada no nosso coração: “o que você criança queria ser?” (E pode não ser só uma coisa!). Não acredito em meritocracia, mas acredito muito no poder da intenção e na canalização de energia!

Nunca achei que eu teria autoestima suficiente para falar com segurança sobre o que eu profissionalmente acredito, hoje falo (e canto) com muito prazer e orgulho.

Gostou? Conheça o trabalho do @carlosfedalto e da @bragarafaela!

@cantigadecasar

https://www.cantigadecasar.com/

Mundo Centro Europeu
Ler matéria completa
Indicados para você