[ editar artigo]

Trabalhar no exterior sem falar a língua? Calma, vai dar tudo certo!

Trabalhar no exterior sem falar a língua? Calma, vai dar tudo certo!

A Tais se mudou para o exterior pela primeira vez aos 32 anos, sem falar a língua, e teve que construir uma vida bem diferente daquela que tinha no Brasil! Confira! ;)

 

Calma, vai dar tudo certo!

Se eu tivesse ganho 1 euro por cada vez que precisei ouvir essa frase, eu certamente estaria "reich" (rico em alemão).

Mudei pra Alemanha há dois anos porque meu marido veio trabalhar aqui e isso já explica muito sobre o título deste post. Aos 32 anos eu nunca tinha morado fora do Brasil e minhas viagens internacionais se resumiam a America Latina (amo!). Porém, viver uma experiência no exterior sempre foi uma ideia que perambulava ali pela minha cabeça, ou seja, quando a oportunidade apareceu, eu só quis vir.

As condições que cheguei aqui eram as menos favoráveis possíveis. Meu inglês era básico, meu alemão era o suficiente pra tomar um submarino no Largo da Ordem e eu tinha trocado as mesas de reuniões pelo fogão. Eu chorei muito!

Então, depois de longos meses, entendi que não podia buscar aqui o mesmo que tinha no Brasil. Que eu não precisava ter que sustentar a mesma pessoa de lá, aqui. Que eu tinha um universo de novas referências pra seguir e só precisava me habilitar pra isso.

Comecei a estudar inglês, pra poder me relacionar com outros imigrantes, arriscar o alemão sempre que possível, consumir outras culturas através de viagens, comidas, museus, roupas, músicas e tudo o que fosse possível. Ao mesmo tempo, ensinei gringo a "balançar a raba" ao som de Jorge Ben e Tim Maia. Foi aí que me misturei, venci o choro e passei pro level 2.

Há 4 meses, consegui um emprego em uma ONG internacional, na minha área de atuação, mesmo ainda com a fluência em desenvolvimento. Agora o desafio é como entender a dinâmica de trabalho com gente de tantos lugares do mundo. Estou em processo de aprendizagem, cabeça a mil, sem choro, rumo ao Level 3.

E se você foi tentando pelo título do texto e chegou até aqui, talvez esteja passando por algo parecido. Eu diria pra você: calma, vai dar tudo certo! Aproveite o caminho, se conecte com você mesmo, com os outros. Não se preocupe com o que você era, porque o que você vai se tornar te fará muito mais reich do que antes.

Lebe das Leben!

Taís Russo. Janeiro, 2019. Bonn

Mundo Centro Europeu
Ler matéria completa
Indicados para você