[ editar artigo]

Morar no Exterior: Mitos e Verdades

Morar no Exterior: Mitos e Verdades

Não é de hoje que me perguntam: Fernanda, como você fez para morar em tantos países até os 27 anos?

Para você que não me conhece, vou resumir (mesmo) minha história: Nos últimos 12 anos morei alguns meses em Portugal e no Equador, 3 anos no Canadá e 1 na República Dominicana, além de ter feito mochilões de 2 meses ao redor da China, Chile e Peru e visitado outros países em viagens mais curtas.

Todas essas aventuras, aliadas a experiências como trabalhar por 3 anos no mercado financeiro, 6 anos numa ONG que fui cofundadora  e ter feito um mestrado na Universidade de Montreal seguido por um estágio nas Nações Unidas no Canadá, foram impulsionadas por um grande sonho: viajar pelo mundo e trabalhar de onde estivesse, contribuindo para a criação de um mundo melhor.

Durante 9 anos usei das economias feitas durante trabalhos tradicionais para realizar as viagens, e nos últimos 3 anos venho empreendendo no VivaQuebec.com num modelo de negócio online para transformar aquele meu sonho numa realidade concreta e sustentável.

Não preciso dizer que esses 12 anos foram marcados por muitas alegrias, frustrações, desafios e conquistas incríveis, não é mesmo?

Hoje tentarei resumir algumas das lições que aprendi durante este período. Você irá perceber que esses "mitos" que giram em torno da ideia de "morar no exterior", dizem muito mais a respeito da nossa própria programação mental (mindset) do que da parte prática da viagem.

Isso mesmo! Uma das minhas maiores descobertas nesses 12 anos empreendendo na vida e mais recentemente nos negócios é de que o principal "ladrão de nossos sonhos" mora em nós mesmos: nossos medos e inseguranças que paralisam a ação, impedindo que tenhamos confiança e coragem para dar os passos necessários para concretizar um sonho.

Por isso, devo alertar: se algum dos mitos a seguir lhe incomodar profundamente, sugiro que anote e cole na parede do seu espelho até ele parar de incomodar. Provavelmente é aquele que você mais precisa entender e desfazer dentro de você para poder seguir adiante.

"Tudo aquilo a que você resiste, persiste".

C. G. Jung


Vamos aos mitos?

O MITO DA BAILARINA: Você está comparando o palco dos outros com os seus bastidores?

“Morar fora é para poucos sortudos” - é uma frase que ouço com muita frequência, dita de diversas formas.

COMO ASSIM, NÃO É?!

Imagine uma bailarina se apresentando lindamente num palco. Ela é radiante, leve e ao mesmo tempo firme, tem movimentos suaves milimetricamente desempenhados. Um anjo em forma de bailarina.

Quem a vê pode pensar: "que sortuda é a bailarina, que nasceu com esse dom de dançar, com toda essa sutileza e elegância que só uma bailarina tem".

Não imagina essa pessoa todo o esforço, dedicação e abdicação à qual se submeteu a bailarina para se apresentar daquela forma. Mal sabe ela o estado em que se encontram os pés da bailarina.

Se repararmos bem, normalmente  as pessoas que tem este mindset demonstram algumas características em comum, tais como:

  • Comparam seus bastidores com o palco dos outros;
  • Logo, acham que para os outros foi fácil;
  • Justificam sua falta de ação por conta dessa comparação injusta (com elas mesmas)
  • Então, se resignam à sua “realidade” limitada;
  • Não sabem que os “sortudos” possivelmente enfrentaram diversos desafios para estar onde estão;

Porém, algo de verdade tem nessa afirmação, pois realmente, nem todos se adaptam nem estão dispostos a passar pelo processo… e está tudo bem! Nem todo mundo vai virar bailarina (ou viajar o mundo, viver de sua arte, alcançar o topo em uma carreira e assim por diante...).

Vale a pena lembrar que todas as nossas escolhas têm um preço, inclusive, não fazer nada pra realizar nossos sonhos. E acredite, o financeiro é o menor dos preços.

E qual seria a verdade por trás deste mito?

Bem, a realidade é que morar fora (ou realizar sonhos) é para quem se prepara para chegar lá - afinal, você já viu alguma bailarina se apresentar em um grande espetáculo no dia seguinte em que decidiu aprender a dançar?

É preciso muitos anos de treino para chegar nesse ponto - sabendo que muitas das cicatrizes e calos produzidos nos bastidores jamais serão vistos pela plateia. Aos que assistem, lhes resta apenas a beleza e perfeição do espetáculo.

COMO SE PREPARAR PARA MORAR NO EXTERIOR?

  • Sabendo os seus objetivos com o projeto;
  • Pesquisando quais países e oportunidades permitem realizá-lo;
  • Pesquisando o que mais engloba essas oportunidades (Poderá trabalhar? O que mais poderá aprender?);
  • Anotando o que é preciso para conseguir realizar;
  • Fazendo um plano de ação para tudo que precisa ser feito antes (orçamento, habilidades, experiências, networking, etc);
  • Colocando o plano em prática, cada passo em seu momento.

Lição: 80% afiando o machado, 20% cortando a árvore. Se prepare!

Vamos agora ao segundo mito:

O MITO DAS FÉRIAS PROLONGADAS: Você acha que morar fora é o mesmo que tirar longas férias?

Pode ir tirando o guarda-sol e os pés de pato das malas...a não ser que realmente vá morar na praia!

POR QUÊ AS PESSOAS TÊM ESSA PERCEPÇÃO?

Estamos acostumados à ideia de que faremos no máximo uma viagem por ano, durante as férias do trabalho. Por conta deste período limitado, muitos acabam "investindo" as economias em experiências turísticas que normalmente não são nada baratas. O que está tudo bem, se esse for seu objetivo.

Porém, quando falamos de morar em outro país, a perspectiva deveria mudar. Estamos agora falando de ter um orçamento mensal que cubra aluguel, alimentação, transporte e outros custos de uma vida cotidiana naquele lugar. E esse orçamento tende a ser muito inferior àquele gasto durante as férias em família em hotéis e passeios turísticos.

Ao mesmo tempo, muitas vezes, não é aconselhado ter gastos "supérfluos" no início, como aqueles que temos quando estamos de férias. Lembre-se: você terá bastante tempo para desfrutar dos prazeres do local, não precisa gastar todo o encantamento (e dinheiro) nos primeiros meses.

Ou seja, cuide para não confundir custo de vida com custo de férias. Além disso, saiba que nem sempre é necessário contratar sua viagem através de uma agência de turismo, o que pode em alguns casos diminuir bastante os custos, além de personalizar ainda mais sua experiência.

Outro ponto a levar em conta é a possibilidade de poder trabalhar no país. Antes de pressupor que é muito difícil conseguir visto de trabalho, pesquise. Você pode se surpreender.

Além disso, pense em como o projeto de morar em outro país pode fazer parte de um plano de longo prazo - isso irá lhe ajudar a tomar as melhores decisões.

E qual a realidade sobre o mito das férias prolongadas?

  • Dependendo do país, pode ser mais barato viver que no Brasil - se for usar apenas suas economias em reais (ex. países latinos e asiáticos);
  • Muito cuidado ao avaliar Custo de vida X Poder aquisitivo local;
  • Independente do custo de vida, se você for trabalhar no país, irá receber na moeda local e se equiparar ao poder aquisitivo de lá;
  • A não ser que receba em uma moeda mais forte que a moeda local;
  • Existem inúmeras maneiras de fazer isso por conta da economia globalizada.
  • Veja como exemplo o site Jobbatical, com ofertas de trabalho para "nômades digitais";

Vamos ao próximo mito:

O MITO DO GÊNIO x CIDADÃO COMUM: Você acha que só gênios tem boas oportunidades?

Você já parou para pensar em como os sistemas educacionais e profissionais classificam e selecionam os "melhores" candidatos?

De um lado, temos instituições de ensino que reconhecem grandemente os alunos com as melhores notas, levando-os aos altos escalões de produção intelectual. Do outro, um mercado de trabalho que exige do profissional habilidades interpessoais que nunca foram ensinadas nas escolas.

E aqueles que ficam "no meio", para onde vão? Muitos acabam preenchendo as lacunas de ambos os sistemas com oportunidades muitas vezes sem qualquer tipo de perspectiva de crescimento.

Mas alguns acabam se sobressaindo por outros caminhos - tornando-se empreendedores da própria vida após não terem encontrado sua posição de sucesso na escala tradicional.

QUEM AFINAL, TEM BOAS OPORTUNIDADES?

  • Quantas pessoas talentosas (ou geniais em uma área) você conhece que não estão em uma posição de destaque?
  • Será que você é uma delas?
  • Quantas dessas pessoas passam a vida sem realizar seus sonhos, sem morar em outros países ou sem ter oportunidades incríveis?
  • Percebe que a maioria das grandes figuras que mudaram a história global, não se destacavam em termos de talento ou genialidade?
  • Então o que os diferenciou?

Meu "palpite" é que o que os levou ao topo de si mesmos foi muito esforço, persistência e capacidade de se relacionar. E isso, todo ser humano pode desenvolver.

Perceba que mesmo alguém considerado genial ou talentoso dificilmente irá realizar algo fora do comum se não buscar ou aceitar oportunidades que o tirem da zona de conforto.

Agora, te faço uma pergunta: você precisa se tornar um “Steve Jobs” para se realizar na vida e chegar ao seu topo?

Provavelmente não, correto?

Por isso, meu conselho é: afrouxe as altas expectativas que criou sobre você mesmo como reflexo das exigências do sistema vigente. Você verá que sem esta bigorna em seus ombros, muitas coisas irão começar a fluir melhor na busca por seus objetivos.

COMO FAÇO PARA CRIAR OPORTUNIDADES?

  • Depois de planejar e se preparar, é preciso ter coragem para sair da zona de conforto e fazer o que precisa ser feito;
  • Lembre-se: o não você já tem, mas o sim, você só poderá conseguir se tentar;
  • Crie relacionamentos e ofereça valor - as oportunidades serão abertas naturalmente após este movimento;
  • Não dê ouvidos aos ladrões de sonhos;
  • Porém, é importante alinhar suas expectativas com a sua realidade para fazer um plano concreto e realizável;
  • Dê um passo de cada vez e lembre que nenhuma grande obra foi concluída da noite para o dia;
  • Lembre que toda jornada começa com um primeiro passo.

Está começando a compreender o que falei no início do artigo, sobre as coisas que nos impedem de realizar nossos sonhos estarem dentro de nós mesmos?

Eu poderia seguir com uma lista ainda mais extensa de outras crenças que impedem alguém de morar no exterior ou realizar outros sonhos - porém acredito que já tenha demonstrado meu ponto aqui.

Nós somos capazes de criar qualquer realidade que esteja predominante em nossas mentes, seja ela positiva ou negativa.

Para finalizar, segue mais algumas dicas finais para dominar esses pensamentos e ter a coragem de entrar em ação:

  • Quanto mais clareza do que quer, mais fácil será de saber os passos que precisa dar em direção ao seu objetivo - portanto, trabalhe no seu autoconhecimento;
  • Não tenha medo de errar. Lembre-se: tudo tem solução;
  • Valorize sua história! Reescreva ela, ressignificando tudo que já passou e tornando-se protagonista dela;
  • Não espere que ninguém lhe diga o que é melhor para você - e com isso, deixe de responsabilizar os outros pela sua vida;
  • Aprenda a apreciar a beleza nos detalhes;
  • Não existe sucesso sem esforço e sem abrir mão de algo;
  • Se você não gosta do que faz no Brasil, por que gostaria em outro país?
  • Se você tem a tendência a ser pessimista, acredite, irá encontrar motivos para reclamar até no mais desenvolvido dos países;
  • Da mesma forma, se você é otimista, irá certamente encontrar muitas alegrias morando fora e no Brasil também;

Em suma: você cria sua realidade, esteja onde estiver

NA PRÁTICA:

  1. Transforme sonhos em metas
  2. Pesquise o que é preciso
  3. Planeje como e quando irá realizar
  4. Procure ajuda, se necessário
  5. Prepare-se e crie suas oportunidades
  6. Confie em si mesmo e deixe a zona de conforto (e o medo) de lado
  7. Tenha coragem: dê o primeiro passo
  8. Depois, dê os outros passos, cada um no seu tempo
  9. Mantenha uma visão realista (e positiva) da vida
  10. Divirta-se na jornada e diversifique-se, afinal, a vida é muito incrível para ser vivida da mesma forma todos os dias!

E então, que tal planejar sua experiência no exterior?

Esse artigo é parte do conteúdo da minha palestra para o ciclo InternacionalizeCE 2018 no Centro Europeu. Fique de olho para as próximas palestras do evento!

*foto do ex-aluno de Fotografia Felipe de Souza

https://www.instagram.com/felipe_d_s/

Fernanda Krassuski
Fundadora do Viva Quebec
Consultora de Internacionalização

Mundo Centro Europeu
Fernanda Fernandes Krassuski
Fernanda Fernandes Krassuski Seguir

Internacionalista. Poliglota. Empreendedora. Estrategista. Idealizadora. Planejadora. Fazedora. Articuladora de Pessoas. Ponte. Promotora de Cooperação e Parcerias Estratégicas. Formadora de Redes. Apaixonada por Desafios. Centrada no Ser Humano.

Ler matéria completa
Indicados para você