[ editar artigo]

Consultoria de Imagem: o rosto como o início da harmonização pessoal

Consultoria de Imagem: o rosto como o início da harmonização pessoal

“Questionar a imagem não é uma questão de vaidade ou narcisismo, mas sim uma oportunidade de olhar para si por inteiro”.

Robson Trindade


 

O rosto é a parte do corpo que mais carrega elementos expressivos que identificam um indivíduo, e a parte do corpo que mais se relaciona com o mundo e com os outros. É através de nossa face que nos expressamos e que criamos a empatia com o interlocutor. O rosto carrega em si a identidade do indivíduo, quando ouvimos um nome ou lembramos de uma pessoa a primeira imagem que vem a nossa mente é a imagem do rosto. Como diz Philip Hallawell “ o rosto é a materialização do ser de uma pessoa, e é no espelho que uma pessoa constrói seu senso de identidade, a partir de uma certa idade na infância. Por isso é tão importante que os profissionais que trabalham com imagem pessoal tenham consciência da importância do rosto na composição da imagem pessoal e de como ele afeta o senso de identidade das pessoas.

 

Na Grécia antiga, filósofos ilustres se dedicaram ao estudo do rosto e suas mensagens. Aristóteles e seus discípulos, por exemplo, chegaram até a elaborar teorias sobre como as feições de alguém refletiam seu temperamento.

 

Hoje com o avanço dos estudos relacionados ao visagismo e a morfopsicologia  vemos a relevância de entendermos profundamente o que o rosto nos revela através das linhas e formas que o compõem. Para isso é importante que  o consultor de imagem seja capaz de fazer uma leitura apurada da linguagem visual expressa pelo rosto de uma pessoa.

 

Utilizando os estudos da psicologia que engloba a teoria de símbolos arquetípicos, do psicólogo Carl Jung, somos capazes de identificar  a simbologia dos arquétipicos nas estruturas da imagem pessoal. Nos formatos do rosto e das feições e no formato do cabelo e nas linhas que compõem o rosto e os cabelos. O que nos permite fazer uma leitura do que a imagem pessoal como um todo expressa e o que a face revela do temperamento. Trabalhos na área da ciência cognitiva, vistas à luz dessa percepção, indicam que imagens provocam reações emocionais, antes que possam ser analisadas racionalmente, o que explica porque a imagem pessoal tem tanta influência na auto-estima, no comportamento, no estado psicológico e emocional e nas relações com outras pessoas. Nesse sentido um símbolo arquétipo é uma idéia, um padrão de pensamento ou uma imagem, herdados coletivamente e universalmente presentes nas psiques individuais. (Jung,1996)

 

Isso significa  que linhas, cores, formas e texturas que compõem uma imagem pessoal ou qualquer outra imagem contém símbolos arquétipos, e esses elementos são ricos em significados, esses significados desta linguagem subliminar universal expressa conceitos, sensações e emoções. Por isso é tão importante que todos os profissionais que trabalham com imagem pessoal sejam capazes de fazer essa leitura  e racionalizar a imagem projetada. O autor de Des Visages: essai d’anthropologie. David Le Breton diz: “É importante assinalar que o rosto não revela a personalidade, mas qualquer alteração no rosto pode alterar a personalidade, na sua forma mais profunda.”

 

O profissional deve ser capaz de fazer uma análise e uma leitura da imagem pessoal expressa pelo rosto de seu cliente, e junto com ele pensar quais as características que ele deseja acentuar ou atenuar e ainda se deseja acrescentar algum elemento.  Levando sempre em consideração o conceito do arquiteto Louis Sullivan que estabeleceu um conceito que mudou radicalmente a arquitetura e todas as outras artes aplicadas. Esse conceito é resumido na sua célebre frase "a forma sempre segue a função." Ou seja, devemos pensar primeiro na função, pois essa determinará como a imagem deve ser criada sem deixar de ser bela.

 

Num segundo passo o profissional deve traçar, o plano de ação combinando, as linhas e as formas, cores e texturas e quais os procedimentos devem ser executados para se chegar ao resultado esperado, bem como quais os profissionais devem ser procurados para que o plano de ação seja possível. É importante que os profissionais atuem em conjunto e que estejam alinhados no mesmo propósito. Depois que os procedimentos relacionados ao rosto (cabelo, maquiagem, design de sobrancelhas e procedimentos estéticos e odontológicos) estejam encaminhados o consultor de imagem deve criar a composição visual a partir dos elementos de design (roupas e acessórios) levando em consideração aspectos como estilo pessoal e tipologia corporal, bem como o gosto pessoal e o estilo de vida do cliente. Quando todos os elementos estão alinhados proporcionando a imagem desejada pelo cliente o resultado é um encontro, um encontro que se revela no espelho. A imagem exterior harmonizada (fruto do trabalho de um consultor de imagem visagista), com a imagem que se tem de si mesmo em seu interior. Revelando então a verdadeira identidade visual personalizada. Essa harmonização proporciona imediatamente uma alteração no comportamento do cliente, na postura, nos gestos, no andar, e muitas vezes até mesmo no tom de voz. De forma que o cliente pode se sentir mais leve e suave ou mais forte e dinâmico. Dependendo da intenção do trabalho elaborado e personalizado para cada indivíduo no processo de consultoria.  A nova imagem projetada causa uma elevação na auto-estima do cliente, modifica a forma como os outros o percebem e se relacionam como ele e ainda como o cliente se relaciona com o meio a sua volta.

 

A consultoria contemporânea, não está baseada apenas em conceitos meramente estéticos e da moda, mais em princípios da linguagem visual e sua representatividade. E principalmente como o cérebro entende cada imagem e como reage a elas. O desafio dos consultores de imagem hoje é, não mais valorizar o que deu certo para os outros, mais sim buscar a singularidade escondida de cada cliente, revelando o que ele tem de mais valioso e trazendo para o mundo exterior o poder da diferença e da autenticidade, sem se prender aos padrões impostos por uma sociedade materialista, obcecada pela imagem, que muitas vezes não revela o eu real de cada indivíduo.

 

Pablo Inisio Araujo de Almeida | Supervisor dos Cursos de Gestão em Consultoria de Imagem e do Make-Up Design -Curso de Maquiagem Profissional do Centro Europeu

Consultor de Imagem, Maquiador,Cabeleireiro e Visagista.

Pós-Graduado em Visagismo: Harmonização da Imagem Pessoal pela Universidade Anhembi Morumbi -SP

Pós-Graduado em Psicopedagogia Clínica e Institucional pela Universidade Castelo Branco-RJ

Mundo Centro Europeu
Ler matéria completa
Indicados para você