[ editar artigo]

Começou a dar aulas? Confira a lição dessa professora!

Começou a dar aulas? Confira a lição dessa professora!

A Mara tem 31 anos de experiência como professora, e reuniu algumas das suas lições ao longo dessa trajetória. Ela fala sobre desafios, reconhecimento, remuneração e, principalmente, sobre satisfação profissional. ;)

Durante muito tempo na minha caminhada como professora ouvi muitas queixas sobre ganhar pouco e trabalhar demais.

Quanto a trabalhar demais, nada que se faça com dedicação e que busque a excelência pressupõe pouco trabalho ou trabalho fácil.

E a remuneração? De fato ninguém fica milionário nessa profissão. Mas também é verdade que ninguém iniciou ou escolheu essa carreira com essa ilusão. 

Além do que, ninguém morre de fome no magistério. Um bom professor sempre terá emprego e reconhecimento.

Reconhecimento! Aí está uma palavra que sempre me motivou.

Não aquele reconhecimento do: “Ah! Como você é maravilhosa!”, mas aquele reconhecimento do trabalho bem feito, da dedicação necessária, da crença de estar fazendo algo que vale a pena, do perceber a diferença que você pode fazer na vida de outras pessoas.

Foi dessa forma que fui ensinando e aprendendo nos 31 anos de trabalho na educação pública, com algumas experiências concomitantes na rede privada.

O conhecimento envelhece quando não é alimentado ou não é mantido em constante alerta para o novo e suas possibilidades de fazer melhor.

E aqui estou eu, dividindo com outros profissionais da educação a experiência, não acumulada, mas sim construída ao longo desse tempo, enquanto continuo a aprender.

Para ser feliz e sentir-se realizado nessa profissão é preciso:

1. Acreditar naquilo que faz.

Acreditar que seu trabalho pode oferecer uma nova visão de mundo. Que por meio de sua ação, você pode contribuir para a mudança e desenvolvimento de confiança e autoestima daquele que ensina.

2. Acreditar no potencial daquele com quem e para quem trabalha.

Todos aprendem. Nem todos aprendem igual. A qualidade do que se aprende está proporcionalmente ligado à confiança que se tem na capacidade de aprender.

3. Acreditar na própria capacidade de aprender e reaprender.

Nenhum conhecimento está pronto. Todo conhecimento pode ser reaprendido e renovado.

4. Acreditar na possibilidade de desenvolver nos seus aprendizes a alegria de aprender.

Aprender não precisa ser uma atividade maçante, que sobrevive somente das ações repetitivas e reprodutivas. Ensinar e aprender tornam-se ações muito mais eficazes e estimulantes quando acompanhadas do desafio do pensar e criar.

5. Acreditar na riqueza dessa profissão.

Nem sempre o ganhar mais ou obter maior lucro trará toda a satisfação pessoal. Um professor é rico de ideias e ideais. Um professor sonha sem tirar os pés do chão. Um professor acredita no que faz, mas está sempre atento a maneiras de fazer melhor. Um professor inicia toda e qualquer possibilidade do desenvolvimento de outros profissionais.

Um professor pode ser rico.  Não pelo que ganha, mas sim pelo que faz.

Mundo Centro Europeu
Ler matéria completa
Indicados para você